Notícias

Wilson Lima anuncia gratificação no valor de um salário para profissionais envolvidos no programa ‘Aula em Casa’

Wilson Lima anuncia gratificação no valor de um salário para profissionais envolvidos no programa ‘Aula em Casa’

postado por person Gerência de Mídias e Conteúdos Digitais   há 1 mês   Educação


O governador Wilson Lima anunciou, nesta sexta-feira (18/06), que os cerca de cem profissionais da educação diretamente envolvidos com o programa “Aula em Casa” receberão uma gratificação no valor de um salário. Esses servidores conquistaram o “Prêmio Prata” para criadores de conteúdo do Youtube. O anúncio da gratificação ocorreu durante encontro com os professores, pedagogos e técnicos do Centro de Mídias de Educação do Amazonas (Cemeam) e da Secretaria de Educação e Desporto.

O prêmio do YouTube foi concedido por conta dos mais de 200 mil inscritos nos canais do projeto “Aula em Casa”. A premiação é uma certificação para canais com mais de 100 mil inscritos e reconhece canais que seguem diretrizes, regras e padrão de qualidade do Youtube.

Na entrega das placas comemorativas por conta do prêmio, Wilson Lima destacou o pioneirismo do programa. “É uma tecnologia que foi exportada para outros 11 estados brasileiros e o Distrito Federal. Não só a tecnologia, mas também seus conteúdos. Isso é resultado do trabalho de todos esses profissionais. Mesmo durante a pandemia, enfrentando os seus medos, estiveram aqui no nosso Centro de Mídias”, disse o governador.

A gratificação anunciada pelo governador será paga em julho. “Nós estamos, como forma de reconhecimento a esses profissionais, anunciando uma gratificação que é um salário a mais agora no mês de julho. Isso é importante, isso é motivador para esses profissionais que estão fazendo da escola pública um modelo de excelência em tempos de pandemia”, declarou Wilson Lima.

O professor Carlos Roberto Bastos, que já tem mais de 30 anos de experiência da docência, disse que a principal mudança foi a urgência na preparação dos conteúdos. “Nós já estamos acostumados com essa questão da tecnologia. O que mudou foi a questão da urgência em preparar os materiais para se adequar às aulas do projeto ‘Aula em Casa’, inclusive revisando aulas antigas para se adequarem ao programa. Com a pandemia, o Centro de Mídias pode destacar o governo e o estado no cenário nacional de forma positiva”, disse.

Inscritos – Atualmente, o canal “Aula em Casa Amazonas” tem 127 mil inscritos, e o “Aula em Casa 1 Amazonas” tem um público de 102 mil.  Com o total de inscrições, o projeto de ensino remoto da Secretaria de Educação está entre os cinco maiores em número de inscritos no Youtube no Brasil. Entre as redes estaduais do país, somente São Paulo, Paraná, Pernambuco e Rio de Janeiro estão à frente no número de seguidores.

Para o secretário de Estado de Educação, Luis Fabian Barbosa, os números mostram o sucesso do programa. “Estamos fazendo um trabalho que é reconhecido por todas as redes de educação, desde o início do ano. Trabalhamos para que nesse momento tão difícil pudéssemos garantir o mínimo, que é educação. Conseguimos e hoje celebro essa conquista com a certeza de que muitas outras virão”, disse o secretário.

Projeto pioneiro – O “Aula em Casa” foi lançado em março de 2020 como ação emergencial do Governo do Amazonas para assegurar o ano letivo aos estudantes da rede estadual. Ele foi o primeiro projeto a ser implantado, neste formato, com videoaulas televisionadas, em todo o Brasil, com apenas uma semana de aulas suspensas.

Com o sucesso, os conteúdos do “Aula em Casa”, além do Distrito Federal, acabaram sendo exportados para São Paulo, Alagoas, Amapá, Pará, Pernambuco, Espírito Santo, Sergipe, Rio de Janeiro, Maranhão, Goiás e Ceará.

Formato – Em 2021, o “Aula em Casa” retornou ainda mais completo, com seis canais nas TVs Tiradentes e Encontro das Águas e o lançamento do Caderno Digital, ferramenta disponível para os professores e estudantes da rede pública. Nele, estão disponíveis link de acesso às videoaulas, síntese dos conteúdos, dinâmica interativa e atividades complementares, dentre outros materiais de apoio.

Alunos sem acesso à Internet receberam a versão física do Caderno Digital.

Além da TV aberta, o projeto segue sendo transmitido também por plataformas digitais, como a Saber+ (da própria secretaria), YouTube e app Aula em Casa. Para atender os estudantes que não têm acesso à Internet, a Secretaria de Educação traçou estratégias junto às escolas (capital e interior) e às coordenadorias distritais e regionais de Educação, como a impressão de apostilas e outros materiais pedagógicos.

Podcast – Outra novidade do “Aula em Casa” para o ano letivo de 2021 é a criação de podcasts com os conteúdos das transmissões do projeto. A iniciativa tem como objetivo alcançar ainda mais alunos no interior do Amazonas e é veiculada nas rádios dos municípios, por meio de uma parceria com as suas prefeituras.

FOTOS: Diego Peres/Secom

Compartilhe

Comentários

Sua participação é muito importante.